domingo, 26 de julho de 2009

HOMENS BOMBA

Por Nívea Soares

O rei Acabe foi um dos piores reis que houve em Israel. Ele se casou com Jezabel, uma sacerdotisa de Baal, e por isso levou Israel à idolatria, tentando institucionalizar o culto a Baal. Naqueles dias Deus levantou Elias como profeta, e através dele anunciou o seu juízo à casa de Acabe.
No entanto Deus não executou seu juízo nos dias de Acabe pois este se arrependeu e se humilhou diante do Senhor, por isso o juízo sobre sua casa só foi executado após a sua morte. Podemos perceber o quanto Deus é misericordioso. Nos capítulos 9 e 10 de II Reis lemos que Jeú foi ungido rei de Israel por ordem de Eliseu. Ele começou então, um verdadeiro expurgo a casa de Acabe. Neste processo Jeú matou também ao rei de Judá e parte de sua família, não por ordem de Deus, mas como forma de afirmação política. Ele eliminou todos os que poderiam representar ameaça ao seu domínio. Apesar de Jeú ter eliminado parcialmente a idolatria no meio de Israel, ele nao se apartou dos pecados de Jeroboão, pois ele continuou a cultuar aos bezerros de ouro.

Meditando a respeito de todos os fatos, eu compararia Jeú a um “homem bomba” dos nossos dias.

No meu conceito um homem bomba é um idealista ou alguém que simplesmente se deixa manipular por um idealista. Este indivíduo coloca bombas no próprio corpo e é capaz de matar pessoas em nome de um ideal destruindo sua própria vida. Jeú cumpriu os propósitos de Deus, mas usou a sua posição de “ungido” para exterminar quem ameaçava seus interesses políticos. Deus não mandou que ele matasse o rei de Judá e sua família, mas ele o fez, porque atendia a seus próprios interesses. Podemos absorver dessa história uma grande lição para os nossos dias, o fato de sermos “ungidos” por Deus (todo o corpo de Cristo é ungido por Deus), não nos autoriza a “matar” as pessoas com nosso idealismo.
Precisamos nos lembrar que no corpo de Cristo existe diversidade, ninguém é igual a ninguém, mas estamos unidos em Jesus.A “unção” de Deus não nos autoriza a ferir a dignidade de outra pessoa. Ainda que esta pessoa esteja errada. Cada um dará conta de si mesmo ao Senhor. Lamentavelmente temos vivido em nossos dias um grande ataque de “homens-bomba” que se dizem cristãos e profetas desta geração. Eles matam pessoas com suas palavras e contaminam outros com o vírus mortal da maledicência e da murmuração. Não solucionam absolutamente nada. Apenas geram insatisfação e sem perceber destroem a si mesmos. Estão atacando o corpo de Cristo, do qual dizem fazer parte. Eles usam as falhas de outros cristãos, como um trampolim de auto-afirmação. Sua espiritualidade não é baseada no edificante amor de Deus mas nas fraquezas do próximo.

A palavra de Deus diz que o amor “cobre” multidão de pecados ( I Pedro 4:7). O verdadeiro amor não “cobra” mas “cobre“. Deus ama o ser humano, e não tem interesse que ele se perca. O diabo sim, veio para matar, roubar e destruir. Todo aquele que de alguma forma destrói está servindo a Satanás.

A verdadeira unção nos levará a cumprir os propósitos de Deus. Ela não serve para autopromoção. Ela nunca nos levará a destruir a dignidade do ser humano.
Aquele que destrói a seu próximo destrói a si mesmo. E tempo de vigiar as nossas palavras, pois elas serão colhidas mais tarde. Seremos medidos com a mesma medida que medirmos o nosso próximo.

Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz. (Tiago 3:18)

Que Jesus abençoe a todos!

Um comentário:

Mila lopes disse...

Muito boa sua mensagem.Seria bom que todos os cristãos pensassem assim como você..
Que Deus te abençoe sempre!